Estamos em maio, que é uma época em que muito se fala em trânsito. A  proposta do Maio Amarelo é chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortos e feridos no trânsito em todo o mundo. Desenvolver ações em torno desta data nos levam a refletir o quanto estamos deixando de lado a nossa postura cidadã.

Estamos em tempos nos quais muitas vezes falamos o que não fazemos, contrariando a nossa ética, quando a paciência frente a uma situação desagradável no trânsito acontece facilmente e todos os dias. Condutores como um todo devem desenvolver atitudes de respeito. Não importa se são motociclistas, motoristas, pedestres ou ciclistas, quando o espaço é o trânsito, todos têm a obrigação de respeitar ao outro e a si mesmos.

Em todos os lugares onde há a circulação de pessoas, deve haver a nossa colaboração, seja quando estamos na direção de um veículo, ou como pedestres. No entanto, enquanto motoristas, devemos nos lembrar que a nossa atitude deve ser de valorização à vida, seja do outro condutor, a do pedestre ou dos passageiros que estão dentro do mesmo veículo que você. É importante lembrar que respeito é uma atitude de cidadania. Não apenas um dever meu, mas um direito do meu semelhante também.

Cidadania e trânsito estão ligados, um não pode se dispersar do outro, devem ser compreendidos na sua totalidade. Claro que quanto maior a cidade, mais o trânsito será caótico. Mas, pare para pensar no quão admirável é uma pequena cidade na qual os motoristas param na faixa de pedestre para as pessoas passarem, quando cidadãos auxiliam idosos a atravessar a rua, ou mesmo lugares em que os motoristas dirigem com cautela respeitando a sinalização e a velocidade.

As pequenas ações irão transformando a educação, principalmente das nossas crianças em idade escolar. Afinal, os educandos levam o conhecimento adquirido na escola para pais e avós, por isso, são nossos agentes educacionais dentro da família, numa perspectiva de interação, e até mesmo a nossa esperança de ter um futuro de pessoas conscientes, cidadãs e responsáveis.

Por todas essas razões é que perguntamos a você: QUAIS ATIVIDADES VOCÊ IRÁ ESTIMULAR EM SALA DE AULA PARA DESENVOLVER ESTAS COMPETÊNCIAS?

 

Texto de Silvana de Luca Tiem, Profª Diretora da Escola Municipal Custódia Colbacho Tragueta.

 

 

desafios da BNCC
Previous article Aprendizagem baseada em projetos: desafios da sala de aula em tempos de BNCC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close