Dentro de um ambiente escolar todas as funções são essencialmente importantes e definidas. Porém, uma delas é muito controversa e nem sempre compreendida. Trata-se da função do coordenador pedagógico, ou em outro termo, do pedagogo. Para facilitar uma reflexão sobre esse profissional sintetizamos suas funções da seguinte forma: articulador do projeto político pedagógico da escola, formador do corpo docente e transformador do ambiente escolar.

A principal tarefa do pedagogo é potencializar o repertório dos professores de modo que favoreça o ensino e a aprendizagem dos alunos. Para tanto, ele se torna um articulador entre as necessidades destes com as necessidades formativas dos professores e as exigências do currículo. Em outras palavras, o pedagogo é aquele que ajuda no diagnóstico das necessidades; no apoio aos professores, apresentando e discutindo sugestões metodológicas para melhorar o processo educacional e no incentivo às mudanças e inovações necessárias para acompanhar a evolução e demandas do século XXI.

Ao incentivar os professores em atividades formativas e reflexões sobre a prática pedagógica, torna-se necessário ao pedagogo acompanhar a prática diária dos professores em sala de aula, o que não deve ser tomado como controle de seu trabalho, mas como parceiro que contribui para o alcance de melhores resultados de aprendizagem.

Compete também ao pedagogo articular o relacionamento da escola com a família. Atualmente, muitos pais negligenciam sua participação na educação de seus próprios filhos e, em muitas situações, desconhecem o projeto político pedagógico da escola onde seus filhos estudam.

O pedagogo, então, buscará o diálogo com a família para trazê-la para a escola e esclarecer a definição de papéis na educação, além de tentar a construção de uma parceria. Em qualquer situação os pais precisam ser ouvidos, pois eles fornecerão dados importantes que contribuirão para que os professores compreendam melhor o contexto em que vivem os alunos e, assim, possam traçar estratégias que melhorem o ensino e a aprendizagem.

É papel do pedagogo fazer toda essa articulação, cuidando sempre para não desfigurar o projeto político pedagógico da escola. Isso demanda tempo, habilidade e coerência.

Outra função do pedagogo tem relação com os resultados de avaliações oficiais, como ENEM ou Prova Brasil. Cabe a ele a tarefa de interpretar dados dessas avaliações, identificar o que eles informam, e socializar com os professores de modo que possam, conjuntamente, replanejar o currículo.

Como se vê, a função do pedagogo é clara dentro de uma escola, e entre suas atribuições não estão nem a confecção de bandeirinhas, como se fazia antigamente, nem a substituição do professor em sala de aula diante de casos considerados de indisciplina de alunos, até porque, cada vez que o pedagogo é chamado “para dar sermão” diminui-se a autoridade do professor.

Também não consta das atribuições do pedagogo ficar correndo atrás de alunos que foram colocados para fora da sala de aula pelo professor. Em outras palavras, quando há casos de indisciplina não é o pedagogo quem assume, mas quem se apresenta como apoio para discutir saídas ou possibilidades de solução.

Com diálogo, trabalho em equipe e clareza de funções é possível garantir qualidade de ensino e aprendizagem e bem-estar para todos.