Um dos maiores desafios na rotina profissional de todos os educadores é usar uma linguagem acessível aos jovens, que aproxime a comunicação e esteja dentro do mundo deles. A sintonia de linguagem é uma das melhores estratégias para tornar a aprendizagem mais eficaz no ambiente escolar e, nos dias de hoje, em que vivenciamos o avanço tecnológico e ascensão das redes sociais, é cada vez mais comum a união do vocabulário usado no meio digital com as falas do dia a dia.

Nesse sentido, o uso e adaptações dos famosos “memes” onlines está ganhando bastante espaço nas rodas de conversa e, por isso, configura-se como uma estrutura de linguagem que pode ser usada como ferramenta aliada dos educadores para facilitar o ensino.

O que é meme?

A expressão “meme” tem origem na biologia e apareceu pela primeira vez como unidade de transmissão cultural entre homens, na obra “O Gene Egoísta” (1976), escrita pelo autor Richard Dawkins. Mas, na etimologia da palavra, o termo vem do grego Mimeme, que quer dizer imitação. Ou seja, aliando as duas explicações, o meio digital chama de meme estratégias de comunicação que se baseiam em manifestações culturais e são fortemente replicadas entre as pessoas.

Ele é aplicado a todos os conteúdos – sejam frases, vídeos, informações, imagens, trechos musicais ou de poemas – que são muito repercutidos e ganham popularidade entre os usuários da internet. Em outras palavras: para explicitar os conteúdos que viralizam, por meio de sua capacidade de utilizar o humor como caminho para se movimentar entre e até as pessoas.

Como renovar a linguagem em sala de aula?

Estudos e pesquisas na área da educomunicação e educação já reconhecem o potencial dos memes como uma linguagem a ser explorada no ambiente escolar. Essa estrutura de texto já é identificada como um gênero textual que facilita o ensino de conteúdos referentes à Língua Portuguesa, além de poder exemplificar temas específicos dentro de quaisquer outras disciplinas. No entanto, para que isso funcione, é preciso ter o cuidado de trabalhar os memes durante o período em que estão populares entre os jovens, assim como exercitar a habilidade de compreensão de texto para a preparação de um bom “meme didático”.

E qual seria a melhor fonte para pesquisa que não as próprias redes sociais – meios nos quais os memes são mais populares? No próprio Facebook já existem várias páginas que se dedicam a produção desse tipo de conteúdo, baseadas em situações políticas, fatos históricos, filosofia, biologia, matemática, física e química, nos quais cada uma das temáticas é trabalhada de forma simples e sucinta, com um toque de humor.

Na prática

Antes de inserir memes na sua programação letiva, o primeiro passo é conversar com seus educandos a respeito do que é um meme e como ele pode contribuir para otimizar e dinamizar a rotina de ensino. Depois disso, e tendo em mente que os memes são linguagens repercutidas por redes sociais, é função do educador filtrar quais serão os estilos de linguagem de memes passíveis de serem trabalhados durante o preparo das aulas.

Como professor, você já tem um currículo base a ser seguido em cada uma das turmas nas quais dá aula. Isso já facilita na hora de selecionar os memes que poderão ilustrar alguns deles, mas LEMBRE-SE: no caso desse tipo de linguagem é essencial estar em sintonia com o que é popular no momento. Afinal, os memes são estratégias de comunicação efêmeras e rapidamente dão lugar para novos, conforme o que for mais atual. Pois desse modo a compreensão da piada acerca do tema – outro ponto fundamental para o sucesso de um meme – será mais fácil entre os estudantes.  

Você quer meme, @?

O intertítulo desse trecho do texto é um meme, você conseguiu identificá-lo? Se sim, quer dizer que estamos alinhados quanto aos conteúdos populares neste momento. Mas, se não, não se preocupe, certamente a partir da leitura deste conteúdo você terá mais predisposição a prestar atenção nessa linguagem. Enfim, agora vamos resgatar alguns memes que encontramos online para exemplificar como trazê-los para a sala de aula.

Está trabalhando o conceito de Delta nas aulas de matemática? Que tal abordá-lo de uma forma mais divertida:

Retirado da página Todo dia um meme educativo diferente

Sua aula é de história e você está discutindo sobre Antigo Egito e quer tratar o assunto de uma forma relacionada com a contemporaneidade? Talvez um bom meme seja a solução:

Retirado da página Memes históricos

Ou então você é responsável pela disciplina de Biologia e está trabalhando os conteúdos do tópico de genética? Também é possível incluir um bom meme nisso:

Retirado da página Memes de biologia

Viu só? Não importa a disciplina ou conteúdo que está sendo trabalhado, sempre é possível buscar uma forma de incluir um bom meme para descontrair as suas aulas. Seja por meio de páginas que oferecem prontos, ou criando o seu a partir de ferramentas que permitem a geração de memes personalizados. Nossa dica de aplicativo gratuito é o Meme Generator.

Pronto para o desafio?

Agora você já sabe como e conheceu até algumas opções que vão te ajudar a transportar suas aulas para o universo dos memes e linguagem dos jovens. Isso não quer dizer, é claro, que todas as suas aulas terão esse recurso, pois tudo que é demais satura. Mas de vez em quando, é super bacana dosar a aprendizagem com um toque de humor e os memes são fontes excelentes para ensinar e tirar umas boas risadas. Aproveite!

futuro-da-educacao
Previous article O futuro da educação: filhos do progresso, educadores do passado?
aprendizagem-significativa
Next article Aprendizagem significativa: e a escola nas férias?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close