A metodologia colaborativa de Freinet coloca a criança no centro do projeto educacional. Veja as principais características!

A pedagogia tradicional ainda é muito utilizada, mas não é a única forma de ensinar. Existem diversas metodologias colaborativas que estão transformando a educação, como é o caso da metodologia Freinet.

A metodologia é conhecida por sua proposta de ensino democrática e colaborativa, que se baseia nos interesses da criança para e no ensino além da sala de aula. Quer saber mais? Então, confira o texto que preparamos para você!

Metodologias colaborativas: conheça Freinet

A metodologia Freinet foi criada por Célestin Freinet com o objetivo de construir uma sociedade solidária e cooperativa, e envolver ativamente os alunos. Mas, qual o seu diferencial em relação ao sistema de educação tradicional?

De forma simples, o método Freinet dá mais autonomia e empoderamento ao aluno, permitindo que ele desenvolva suas habilidades no seu próprio ritmo.

Essa metodologia colaborativa propõe, ainda, uma nova concepção da criança, percebida como sujeito ativo com necessidades e exigências específicas. Ela deve ser capaz de se expressar e a aprendizagem ocorre por meio da experiência e em contato com a realidade externa.

Princípios da metodologia Freinet

Os princípios da pedagogia Freinet podem ser resumidos em dois pontos:

  • Baseia-se na liberdade de expressão dos alunos.
  • É uma educação popular e laica que prepara crianças e adolescentes de hoje para pensar e agir no mundo de amanhã.

Principais características da metodologia Freinet

Ensino natural: tentativa e erro

Conforme a pedagogia Freinet, os alunos devem aprender pelo método natural. Ou seja, a partir do pressuposto de que uma série de conhecimentos podem ser adquiridos por meio do mesmo processo natural de aprender a ficar em pé, andar ou andar.

Assim sendo, é o aprendizado que se realiza com a experiência, a colaboração e a revisão coletiva dos erros. A tarefa do educador é orientar a criança.

Nessa metodologia colaborativa, o aluno aprende por meio da experimentação e não apenas pela reprodução do que lhe é ensinado. É ele quem deve elaborar suas próprias hipóteses e descobertas e construir seu próprio conhecimento.

Ritmo de aprendizagem individualizado

A metodologia Freinet dá atenção especial ao ritmo de aprendizagem de cada aluno. No início da semana, o professor define um roteiro coletivo, então, cada aluno define as tarefas e atividades que irá realizar individualmente, segundo as suas capacidades e os seus objetivos. Cada um progride em seu próprio ritmo.

Autonomia

Além disso, o professor deve saber valorizar os interesses individuais do aluno, estimulá-lo e aceitar seu tempo de aprendizagem. Ele deve, portanto, ser considerado um sujeito ativo, a ser respeitado em suas necessidades e valorizado em suas inclinações.

Ao montar a sua própria programação semanal, o aluno assume o controle de si e a responsabilidade, e ainda desenvolve a sua autonomia. Isso faz com que ele seja mais estimulado, já que estará trabalhando com algo que gosta.

Ao mesmo tempo, o professor estabelece horários para garantir que todos os pontos do programa escolar foram trabalhados.

Cooperação

A cooperação está no cerne da metodologia Freinet. O trabalho em grupo é muito incentivado em todas as disciplinas. Os benefícios são inúmeros, como:

Além disso, os alunos podem formar livremente seus grupos de trabalho. O professor também pode garantir que os grupos sejam heterogêneos o suficiente para permitir a aprendizagem entre eles.

Organização cooperativa da classe

De maneira geral, a turma é organizada de forma cooperativa. Há conversas e muitos momentos de troca coletiva que permitem o desenvolvimento de regras de convivência, a regularização de conflitos e a execução de projetos.

Mas não é só isso. Essas atividades ajudam no desenvolvimento da escuta, da oralidade e na construção do pensamento crítico. Muitas vezes, uma caixa de sugestões é deixada na sala de aula para estimular o diálogo.

O lugar do professor

Com a metodologia colaborativa, o professor não deve dominar a aula, mas colocar-se no mesmo nível dos alunos. Na verdade, o professor é visto como um orientador. Ele  deve estar lá para apoiar e dar às crianças os meios para construir um conhecimento pessoal. Ele pode até delegar algumas de suas responsabilidades aos alunos.

Expressão livre

Para produzir, o aluno deve ter seus próprios recursos criativos, escolher os temas e as emoções que deseja expressar. Desenho, pintura, texto, expressão oral ou corporal, não importa. Aliás, até mesmo as palestras, oficinas e cursos podem ser os temas escolhidos pelos alunos.

Avaliação formativa

Para a metodologia Freinet, a avaliação final tradicional é o único objetivo do ensino. Por isso, de acordo com a metodologia, a avaliação deve ser formativa e valorizar o progresso da criança. O acompanhamento individual permite propor a consolidação de conhecimentos e habilidades por meio de trabalhos em grupo.

Se você quer saber mais sobre outras metodologias colaborativas, veja aqui como o Método Montessori pode ajudar no desenvolvimento das crianças.

Previous article Melhor educação do mundo: como são as escolas na Finlândia
Next article Planner 2022 para educadores: baixe o seu grátis!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close