Aprender a ler é um passo muito importante na vida das crianças, pois representa que elas estão avançando no processo de aprendizagem. Elas passam a ter acesso ao mundo das palavras escritas e, a partir disso, iniciam a saga de lerem qualquer coisa que apareça pela frente. Porém, desenvolver o hábito da leitura na educação infantil não se limita apenas ao “ensinar a ler” e, por isso, é preciso dedicar esforços para estimular os educandos a criarem gosto pela leitura.

Nesse processo, é importante que o educador desenvolva atividades que promovam a leitura entre as crianças, de uma forma dinâmica e divertida. Mostrar para elas que ler é uma atividade prazerosa, que exercita a inteligência e imaginação, é uma forma de dar asas para as mentes jovens seguirem rumo ao universo dos livros.  

A leitura estimula a criatividade e a imaginação, favorece a aprendizagem e contribui para a ampliação do vocabulário, a aquisição de cultura, a melhora da escrita e o desenvolvimento do senso crítico. Para contribuir com estratégias que motivarão a leitura entre seus educandos, elencamos algumas dicas que podem ser essenciais nesse processo. Olha só:

  1. Estimule o contato com os livros

Desde cedo, os educandos têm contato com os livros no dia a dia escolar, no entanto, isso não quer dizer que necessariamente eles irão lê-los. Cabe ao professor oferecer estímulos para cativar os pequenos para o hábito da leitura, a partir do uso de obras adaptadas para o público infantil, com histórias educativas e de fácil compreensão. Existe uma infinidade de livros com material apropriado para os pequenos, como os de plástico, com texturas, maleáveis e coloridos.

Disponha os livros em lugares de fácil acesso para os educandos, como caixas coloridas, baús ou estantes baixas, adaptadas para a altura das crianças, permitindo que elas tenham acesso aos livros sempre que quiserem. Direcione ações que as levem a buscar os livros como fonte de consulta. Uma dica é: em uma semana faça uma leitura coletiva com todos os alunos e na semana seguinte peça que eles procurem na sala o livro que fala sobre algum dos personagens da história abordada e leiam para os colegas algum trecho dele.

Outra possibilidade é levá-los a passeios em lugares como bibliotecas e a feiras de livros.

2. Expresse o interesse pela leitura

As crianças prestam muita atenção nos exemplos que recebem dos adultos, por isso, figuras de autoridades para os jovens, como os educadores e pais, exercem grande influência nos hábitos deles. Você pode trazer histórias para a sala de aula que expressem os benefícios da leitura e como eles impactaram em sua vida, a fim de motivar que eles vejam os livros como instrumentos de mudança e progresso.

Dessa forma, a criança entra no universo da história, se envolve e se encanta com ela. Consequentemente, ela também será uma leitora quando crescer. Além de ler, é importante conversar sobre a história: pergunte o que ela entendeu, quem gostaria de ser na história, se faria um final diferente e assim por diante. Essa troca afetiva favorece o envolvimento com a leitura, além de incentivar a imaginação.

3. Valorize as imagens

Nos primeiros momentos em que uma criança aprende a ler, é normal que ela canse rapidamente dessa atividade e, para driblar essa dificuldade, a dica é que o professor aposte em obras com bastantes imagens e cores. Dessa forma, você estará possibilitando que os livros segurem a atenção dos educandos e eles sigam focados na história.

Conforme a criança for desenvolvendo o gosto pela leitura, sugira outras obras com um pouco mais de texto, até que torne-se normal e agradável para ela ler sem o auxílio de imagens.  

4. Crie rodas de leitura

Dinâmicas relacionadas à leitura são muito válidas para tornar o processo mais dinâmico e divertido. Cole cartazes na sala de aula, desenvolva trabalhos que façam com que os alunos escrevam poemas ou versos e decore o ambiente com eles. Cerque-os com possibilidades de leitura.

Após, peça que os educandos se posicionem em uma grande roda e um a um leiam coisas dispostas pela sala. A leitura em conjunto é uma estratégia para que a criança se desenvolva aos poucos, até ter habilidade para ler um livro inteiro sozinha. Além disso, há ainda um grande benefício: ao se concentrar na atividade, ela desenvolve o foco e a atenção.

5. Dê ouvidos aos interesses da criança

Procurar conhecer os interesses da criança é uma forma de ser mais assertivo no momento de sugerir materiais para ela desenvolver o gosto pela leitura. Além de que essa é uma forma de possibilitar que ela veja  o professor como um amigo e, com isso, aceite as sugestões do educador a respeito da importância dos livros e da leitura.

Nesse sentido, as revistas em quadrinhos podem ser boas formas de inserir a criança na leitura na educação infantil. Na escola, é interessante ter diferentes opções para que ela descubra com qual delas mais se identifica. Lembre-se de dar preferência para aquelas que têm conteúdo apropriado para a idade.

6. Busque novos cenários e contextos

Passeios são atividades que despertam a curiosidade da criança para vários temas diferentes. Sempre que realizar uma atividade desse tipo com os pequenos, tenha um material impresso de apoio caso eles demonstrem interesse em saber mais sobre o assunto ou o lugar.

O mesmo vale para filmes: depois de uma sessão de cinema em que a história foi adaptada de um livro ou conto, é natural que os pequenos queiram se aprofundar no assunto. Com isso, vão se sentir mais motivados para ler a obra inspiradora.

Uma dica para isso, é selecionar algum filme que tenha uma obra literária adaptada para crianças, passar apenas um trecho dele em sala de aula e desafiar os educandos a descobrirem o final a partir da leitura do livro.

Mostre que a leitura está em todo lugar

Bate-papos sobre lugares, fatos históricos ou tradições, por exemplo, podem ajudar a despertar o interesse pela leitura na educação infantil. Isso porque detalhes relevantes e curiosidades são ótimas formas para despertar o interesse nas crianças.

Outra dica interessante é o incentivo à troca de livros entre colegas. Assim, os pequenos passam a ter contato com uma variedade maior de títulos. Nesse processo, pode-se, ainda, incentivá-los a inventar histórias e até a criar os próprios livros para depois trocar com os outros alunos.

As palavras estão em todos os lugares e demonstrar que a criança pode usufruir dos benefícios de acesso à informação é uma forma de cativá-las para a leitura e tornar o hábito de ler mais agradável e presente no dia a dia.