Formar cidadãos preocupados com a sociedade e munidos de valores básicos como o respeito e solidariedade é parte da função de todos os educadores. Mas nem sempre é fácil pensar em abordagens para aplicar uma temática que muitas vezes pode ser subjetiva em atividades práticas ao ambiente escolar. Por isso, trouxemos essa pauta para discussão em um artigo, com o objetivo de inspirar boas práticas e ações que podem contribuir com o bem-estar social a partir da formação e educação das nossas crianças.

O que é cidadania?

Para um bom convívio social, exercer a cidadania no dia a dia é fundamental. Nos termos da lei, entende-se cidadania como o conjunto de direitos e deveres exercidos por um indivíduo em sociedade. Mas, para além desse conceito, a cidadania tem grandes implicações sociais e emocionais. Também usamos essa palavra para definir uma forma de falar e agir que respeite todos ao redor e não cause nem desconforto nem exclusão.

Cidadania para crianças: por que é importante?

A infância é a idade em que mais se aprende a enxergar, entender e agir para com todas as pessoas, assim como em relação ao mundo. O entendimento de que o contato humano é baseado em trocas (de palavras, sinais, mensagens, o que for) está começando a tomar forma.

Portanto, se desde esse primeiro contato com tudo isso a criança já aprende que pode machucar um colega ao dizer algo impensado ou atrapalhar muitas outras crianças com uma atitude egoísta, fica mais fácil evitar essas ações em todo o restante da vida. Afinal de contas, é muito mais fácil ensinar do que corrigir vícios de linguagem e comportamentos inadequados que já se tornaram enraizados, quando adultos.

Por isso, separamos algumas dicas de reflexões que todas as pessoas que atuam como educadoras podem pensar na hora de colocar na prática da rotina letiva, ações e atividades envolvendo o tema cidadania. Olha só:

1. Acordos para conviver bem

Conviver não é coisa fácil, ainda mais para as crianças que ainda estão descobrindo a extensão desse mundo que as rodeia. Alguns acordinhos para a cidadania, que tornam tudo isso mais fácil, devem ser pensados e aplicados durante as aulas. Perceba, inclusive, que estamos usando a expressão “acordos” e não “regras”. Isso porque é muito mais interessante que no processo de ensino a gente demonstre aos educandos que além de serem pessoas corretas devido às exigências do meio, eles podem optar pelos bons comportamentos e torná-los parte do seu dia a dia.

Exercite essas questões com premissas simples, a exemplo de:

  1. Chegou? Cumprimente
  2. Vai embora? Despeça-se
  3. Lhe fizeram um favor? Agradeça
  4. Lhe perguntaram algo? Responda
  5. Não é seu? Peça permissão
  6. Você tem? Compartilhe
  7. É diferente? Respeite
  8. Você errou? Peça desculpas
  9. Estão falando com você? Escute
  10. Lhe emprestaram algo? Devolva

Incentivar as crianças a adotarem esses comportamentos, não só em sala de aula como também em suas vidas, é uma forma de incluir valores cidadãos na rotina delas, de modo a estimular que essas práticas façam parte de suas personalidades naturalmente.

2. Jeitos de se comunicar melhor

É comum que muitos problemas na infância (e na vida adulta também) sejam causados por uma pequena palavra fora de hora ou uma frase dita com a cabeça quente. Com exemplos bem pontuais, os educadores podem demonstrar e mediar diálogos para que os educandos exercitem a forma de expressar e receber ideias e opiniões.

Uma boa ideia é formar grupos e distribuir temas que sejam acessíveis ao universo das crianças, para que conversem sobre eles. Por exemplo, qual é a brincadeira que está ganhando o imaginário dos jovens no momento? Peça para que compartilhem suas opiniões sobre, ouçam o parecer dos colegas e proponham uma nova forma de visualizar a questão, que contemple o ponto de vista de toda a equipe.

É uma ideia simples, mas que já mostrará na prática que conversando e se dispondo a ouvir e trocar ideias, podemos resolver pacificamente quaisquer situações. É claro que nos casos com educandos a partir dos 12 anos, já podemos trabalhar de uma forma mais próxima aos confrontos, por meio da mediação de debates e discussões de temas ligados aos conteúdos trabalhados por cada disciplina. Lembrando sempre, é claro, de valorizar a comunicação não-violenta e respeito durante a troca de ideias.  

3. Resolver problemas de forma pacífica

Uma ferramenta fundamental que as crianças estão desenvolvendo ao longo da infância é a capacidade de resolver problemas. Um ponto de atenção é que às vezes a resolução de um problema acaba gerando outros, por conta de simples falta de empatia ou desatenção à forma como se comunica com algum colega.

E no ambiente escolar, é importante que possamos desenvolver a habilidade de visualizar e pensar em alternativas para a solução de problemas, sem que eles tomem grandes proporções ou as crianças partam para resoluções violentas.

Para isso, uma boa alternativa é propor metodologias de aprendizagem baseada em problemas. Nós já falamos sobre esse assunto e demos dicas no artigo Ensinando alunos através de problemas reais.

4. Cuidado com o meio ambiente

Por último, ensinar aos pequenos que suas ações não só afetam pessoas, mas também todo o mundo em si, também é lição de cidadania. E claro, o meio ambiente acaba afetando todas as pessoas também.

Para conseguir que as crianças tenham amor pela natureza, o melhor caminho é enriquecer suas vivências, planejar atividades com o objetivo de ensiná-las a amar o meio ambiente, facilitar o contato da criança com o campo, montanhas, rios e tudo o que engloba a natureza, e dar-lhes a possibilidade de observar, perguntar e expressar suas ideias quanto ao tema.

Para isso, algumas temáticas centrais podem ser exercitadas no ambiente escolar por meio das ações a seguir:

  1. Incentivar o contato com a natureza sempre que possível
  2. Realizar passeios pelo campo
  3. Promover excursões a alguma fazenda ou granja
  4. Ensinar a plantar uma árvore
  5. Estimular o cultivo de uma horta comunitária na escola
  6. Exercitar os cuidados com um bichinho de estimação
  7. Explicar a importância do respeito aos animais, aos rios, às plantas e flores
  8. Levar os educandos a algum jardim botânico
  9. Evitar jogar lixo na rua, no campo, rios e praias
  10. Incentivar a economia de recursos como água e luz

A cidadania vai para além da sala de aula

Ao tratar dessa temática em sua rotina letiva, mesmo que de forma sutil, o educador ou educadora está contribuindo para a sociedade por meio da formação e boa educação de jovens que um dia assumirão a dianteira das decisões públicas.

Educar para a cidadania é um serviço público para todas as pessoas!

maio amarelo
Previous article Cidadania e trânsito: dois assuntos para a sala de aula
ética e cidadania
Next article Dicas e abordagens para trabalhar ética e cidadania em sala de aula

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close