Entenda a importância de conhecer a comunidade escolar, como traçar o perfil dos alunos e adaptar atividades para diferentes realidades.

O Brasil é um país de contrastes, com muitas diferenças sociais, econômicas e culturais de norte a sul. As diferenças também são grandes até mesmo dentro das cidades. Por isso, é imprescindível conhecer quem compõe a comunidade escolar, ou seja, o perfil dos alunos, pais e familiares, para entender como trabalhar os conteúdos em sala de aula e atividades extracurriculares.

Entenda neste artigo a importância de saber quem frequenta a escola, onde cada um vive, qual a classe social, se tem acesso à tecnologia, entre outros pontos. Saiba como conhecer o público de sua escola para adequar o ensino aos alunos.

Qual a importância de conhecer a comunidade escolar?

Identificar o público com o qual trabalha é fundamental para o sucesso de qualquer setor, e não é diferente quando o assunto é educação e escola.

O público de uma escola é formado por todas as pessoas envolvidas no sistema educacional, não se resumindo apenas aos alunos, sendo também:

  • pais;
  • familiares;
  • amigos de alunos;
  • guardiões legais ou famílias adotivas;
  • comunidade ao redor;
  • professores e outros funcionários.

Ter pleno conhecimento do perfil desse público é indispensável para ajudar no desenvolvimento e aprendizado dos alunos.

Por exemplo, usar recursos tecnológicos e internet são excelentes maneiras para complementar o aprendizado. No entanto, segundo dados do IBGE, 4,3 milhões de estudantes com mais de 10 anos não têm como se conectar à internet no Brasil. Desses, 95,9% são da rede pública. Além disso, há uma grande diferença entre as regiões. Enquanto 91,3% dos alunos do sudeste têm acesso à internet, apenas 64,8% tem no norte do país.

Dessa forma, quem está em uma região com dificuldade em acessar a internet, deve evitar propor tarefas de casas que necessitem do recurso. Ao contrário de quem vive em locais que têm grande possibilidade de conexão, que pode usar a ferramenta com mais frequência.

Como conhecer a comunidade escolar

Conhecendo a comunidade de sua escola, você pode direcionar as atividades que contemplem todos alunos, ou adaptá-las de acordo com cada realidade.

Para entender qual é o público da sua escola, o primeiro passo é saber quem são as pessoas envolvidas no processo educacional. Para que isso aconteça, se atente a algumas informações, como:

  • Qual é o estado, cidade e bairro onde moram?
  • Como é o acesso à tecnologia de seus alunos?
  • Os pais ou responsáveis são alfabetizados? Qual o nível de escolarização?
  • Como é o período de férias de seus alunos, o que costumam fazer?
  • O que alunos e familiares assistem?
  • Como os alunos vão para a escola? Sozinhos, com os pais, de ônibus, carro, ou a pé?
  • Como é a composição e ambiente familiar?
  • Com quem eles ficam enquanto os pais trabalham? Com babá, amigos, irmãos mais velhos, parentes ou vizinhos?

Para obter tais informações, você pode fazer um questionário para os pais ou responsáveis no início do ano letivo, tentando entender a realidade específica de cada família, e assim, conhecê-los melhor. Lembre-se sempre de tratar os assuntos com respeito, sem ser invasivo.

Para um perfil mais geral, você pode consultar sites como o do IBGE e do MEC, ou mesmo da prefeitura ou de universidades em sua cidade. Nesses portais, frequentemente são divulgadas pesquisas que podem ajudar a entender melhor a realidade de seus alunos, como taxa de alfabetização, classe social, acesso à internet e outros dados.

Como adequar as aulas ao público da escola?

Ao entender quem é o público da escola, fica mais fácil adequar as aulas e atividades extracurriculares em cada cenário. Por exemplo, não é viável pedir atividades que necessitem leitura para crianças não alfabetizadas, se existe a possibilidade de os pais também não serem. Nesse caso, prefira lições de casa em que não é preciso ler. Mas, se os familiares são escolarizados, é possível propor atividades mais complexas.

Para ajudar, conheça a Escola dos Nossos Sonhos, um bom exemplo de escola rural que soube adaptar o ensino às necessidades dos alunos.

Confira algumas dicas para adaptar atividades para diferentes perfis.

Veja cada situação como única

Cada aluno é único, assim como cada situação. Por isso, apesar de ser importante identificar o perfil geral da escola, também é necessário entender as demandas individuais dos alunos. Isso porque podem ocorrer grandes disparidades dentro de uma mesma sala de aula.

Por esse motivo, a educação deve estar centralizada no aluno. Assim, possibilita-se a adaptação caso a caso.

Faça atividades dentro da sala de aula

A escola deve trabalhar junto com a família para o desenvolvimento dos alunos. No entanto, nem sempre isso é possível. Então, se os pais ou responsáveis têm dificuldades em ajudar com as tarefas de casa, faça as atividades mais complexas em sala de aula.

Proponha atividades direcionadas

Quando você conhece o perfil de seus alunos, é possível desenvolver atividades mais direcionadas. Caso a sua escola fique em um bairro mais violento, proponha atividades que falem sobre os perigos da violência, drogas e a importância da disciplina.

Use a tecnologia respeitando as limitações

A tecnologia é uma ferramenta de aprendizado mais do que indicada, mas há situações em que só pode ser exigida em ambiente escolar. Se seus alunos têm acesso à tecnologia também em casa, aproveite os recursos disponíveis quando encaminhar a tarefa de casa. Caso contrário, mostre como usar a criatividade na escola, por exemplo, fazendo um laboratório maker de baixo custo.

A participação familiar durante todo o processo de escolarização é fundamental para entender melhor o público da escola. Veja como incentivar a participação da reunião de pais e mestres e assim ter excelentes parceiros na educação formal de seus alunos.

Previous article 6 jogos de lógica para aprimorar o raciocínio na escola

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close