Apoio e acolhimento são palavras-chave quando falamos de educação. Não apenas quando se trata dos educandos, que se sentem mais confiantes para aprender quando estão em um ambiente onde exista segurança, mas também para toda a comunidade de aprendizagem. Uma das formas de criar esse ambiente é aplicando a gestão do cuidado nas escolas. Mas você sabe o que ela é?

A gestão do cuidado é muito utilizada na enfermagem e em lares de longa permanência para idosos. Ela desenvolve um sistema que leva em conta a autonomia, individualidade, atitudes profissionais e relacionamentos. Pode ser aplicada de forma individual, familiar, profissional, organizacional, sistêmica e societária. Em resumo, a gestão do cuidado define formas e meios para levar os sentimentos de apoio, acolhimento e atenção para quem está recebendo os cuidados.

A gestão do cuidado nas escolas

Nas escolas, o cuidado pode ser direcionado tanto para educadores como para os educandos e suas famílias. Nesse sentido, podemos afirmar que a gestão do cuidado nas escolas cria um ambiente preocupado com o bem-estar da comunidade de aprendizagem.

Quando a escola deixa de ser apenas um ambiente de aulas, e transforma-se em um espaço de acolhimento e atenção às necessidades dos alunos, há uma mudança de percepção e, por consequência, também altera positivamente os sentimentos e atitudes de quem a frequenta.

Há mais respeito entre pessoas e com a estrutura física do local, criam-se vínculos entre alunos e professores e a escola passa a ser o cenário de bons momentos – que serão lembrados de forma positiva no futuro, desencadeando uma mudança na imagem das escolas como um local de afeto e não apenas de aprendizagem ou até de regras e punições.

É importante lembrar também que, enquanto para muitos alunos, sentir-se acolhido na escola reflete em melhor desempenho, para outros, a percepção do cuidado e da segurança vai muito além, transformando também sua vida pessoal. É o caso de alunos que vivem em situações adversas ou em contextos de violência. Nesse cenário, a escola vira um refúgio e ganha um papel ainda mais relevante na formação de crianças e jovens.

Implantando o cuidado nas escolas

Um exemplo de cuidado aplicado na educação está na abordagem afetiva de Emmi Pikler. Essa metodologia, desenvolvida pela pediatra Emmi Pikler, surgiu após a Segunda Guerra Mundial no acolhimento de bebês de 0 a 3 anos e é baseada no afeto e cuidado com as crianças que estão em ambientes coletivos.

Nesta abordagem, o cuidado aparece em atitudes simples:

  1. Conversas com os alunos
  2. Demonstrações de carinho e afeto
  3. Compreensão
  4. Respeitar o tempo de conhecimento ou comportamentos

A gestão do cuidado no ambiente escolar envolve também a comunidade no entorno da escola. Além de ensinar a partir de um currículo padrão, as escolas precisam estar atentas às necessidades no seu entorno. O protagonismo dos alunos e comunidade, muito comum nas metodologias ativas, ajuda a criar uma escola que acolhe as dificuldades de ensino do bairro ou município onde ela está inserida.

Outro pilar importante da gestão do cuidado é a estrutura física da escola. Sabemos dos desafios da gestão escolar como um todo. No entanto, quando a escola se torna um espaço de cuidado, a conservação e o respeito com a estrutura  da escola (como pintura) e as ferramentas disponíveis para os professores e alunos – desde materiais didáticos a opções mais tecnológicas – viram responsabilidade de todos e, no fim, contribuem para toda a comunidade.

Cuidado com os profissionais

Toda a equipe de profissionais da escola (de educadores à responsáveis pela limpeza) são impactados positivamente pela gestão do cuidado. Assim como a escola pode se tornar um espaço acolhedor para seus educandos, existe a mesma possibilidade para quem trabalha nela.

Rodas de conversa, pesquisas ou ainda reuniões individuais com o objetivo de descobrir os desafios dos profissionais dentro e fora da escola são opções de iniciativas positivas. Permitir reflexões sobre como a comunidade pode agir para encontrar soluções também são atividades simples e que demonstram consideração e cuidado com as pessoas.

Em função da pandemia, a necessidade do cuidado com o corpo docente das escolas ficou mais evidente. A transformação para aulas remotas trouxe dificuldades, foi necessário aprender novas formas de ensinar, de engajar os alunos, de evitar que muitos deixassem de assistir às aulas, dentre tantos outros desafios. O acolhimento, compartilhamento de experiências e apoio entre as equipes foi fundamental para que muitas escolas continuassem funcionando em 2020.

Apesar de funcional em momentos de crise, ações que façam parte de uma gestão voltada ao cuidado são necessárias também em momentos de calma. No dia a dia, esse tipo de gestão mantém os profissionais motivados e engajados com o objetivo de ensinar. Quando a escola cuida da sua comunidade, ela recebe os cuidados de volta.

Previous article Cidadania: Aprendizado passa pelo entendimento de coletividade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close